Renata Bittencourt Meira

Docente - Professora Efetiva

Eu sou professora de consciência do movimento e processos criativos. Trabalho com consciência corporal, processos criativos e danças coletivas brasileiras há mais de trinta anos. Sou docente no Instituto de Artes da Universidade Federal de Uberlândia, IARTE - UFU, no centro do Brasil onde trabalho com treinamento para atores e teatro popular desde 2000 na graduação em Teatro. Em 2008 iniciei pesquisa sobre escrita, conhecimento e performance somáticas no Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas e no ProfArtes - Mestrado Profissional em Artes. Concebi e coordenei a reforma curricular do Curso de Teatro implantada em 2006; e a elaboração do Projeto Político Pedagógico que criou o curso de Dança da UFU em 2010. Criou e coordenou o grupo Baiadô com o qual desenvolveu trabalhos de dança em diálogo com tradições populares como Congado e Escolas de Samba durante nove anos, promovendo e estudando a diversidade e a corporeidade. Minha pesquisa atual inclui educação somática, movimento consciente, processo criativo e cultura popular.

 

Sou Bacharel em Dança, Mestre em Artes e Doutora em Educação pela Universidade Federal de Campinas. Tenho interesse em educação, arte, diversidade cultural, ecologia dos saberes, paz e novas formas de viver.

 

Contato para o desenvolvimento de iniciativas: renatameira@ufu.br

 

Membro fundadora do LAC

Linha de pesquisa - pedagogia para o desenvolvimento do corpo para performance - Orientações de pesquisa sobre o corpo na cena.

Coordena Grupo de Pesquisa sobre Expressividade e Percepção Corporal: pesquisa: a Pedagogia das Ternas.

 

Mestrado

Desenvolvimento de pesquisas cujos focos de interesses se desenvolvam a partir do corpo enquanto instrumento de expressão e imersos no universo cultural da sociedade contemporânea.

Utilizando como instrumento pedagógico as Ternas como procedimento de treinamento e criação.

São temas de interesse todos aqueles ligados à análise e empoderamento das diversidades culturais: cultura, gênero, afrodescendência, trabalho. Todos sob o olhar da contemporaneidade e historicidade social e as expressões artísticas dos corpos fora da hegemonia dominante.

 

Doutora em Educação

 

Extensão

Desenvolvimentos de projetos e parcerias com outras unidades acadêmicas e outras universidades que propõem o processo de investigação onde o corpo e a preparação do corpo expressivo se constituem elementos significativos nas pesquisas.

Iniciação Científica

Suporte e motivação de alunos regulares do curso de teatro da UFU que se interessam pela pesquisa corporal e pela pedagogia das Ternas utilizadas nas disciplinas do curso. Por exemplo Corpovoz I e II, TCCs, Estágios Supervisionados de Bacharelado e de Montagens em Espaços Escolares, Práticas Teatrais, Teatro e Cultura Popular.

Desenvolvimento e cooperação em iniciativas comunitárias.

Assessoria, desenvolvimento de projetos, participação em iniciativas de políticas públicas e desenvolvimento de projetos e propostas para fomento cultural com grupos sociais ou iniciativas que se destacam pela busca pela inclusão social, e pela diversidade; contribuindo com a pesquisa e busca do corpo expressivo para performance.

 

Ingressou na Universidade Federal de Uberlândia como Professora Efetiva em maio de 2002.

 

Referências

1. Preparação corporal e Somaestética na Universidade Federal de Uberlândia - 2000 - 2018

DAMÁSIO, Antonio. O mistério da consciência: do corpo e das emoções ao conhecimento de si. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

DAMÁSIO, António. E o cérebro criou o Homem. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

EDDY, Martha. Mindful Movement: The Evolution of the Somatic Arts and Conscious Action: The Evolution of the Somatic Arts and Conscious Action (Kindle Locations 6146-6148). Intellect Books Ltd. Kindle Edition, 2016.

2. Texto encarnado: uma estratégia de descolonização

PRECIOSA, Rosane. Rumores Discretos da Subjetividade. Porto Alegre: Sulina & UFRGS, 2010

SANTOS, Boaventura de Souza e MENESES, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

3. Um tecido cultural chamado Baiadô

BOURDIER, Pierre. O Poder Simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A educação como cultura. Campinas, São Paulo: Mercado de Letras, 2002.

GARCIA CANCLINI, Nestor. Culturas Híbridas: Estratégias para Entrar e Sair da Modernidade. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1998.